Poluição sonora desaloja monges no Paraná

Monges terão que se mudar para uma área mais afastada da cidade

A expansão urbana está contribuindo para desalojar os monges beneditinos que vivem no Mosteiro da Ressurreição, em Ponta Grossa, a 115 quilômetros de Curitiba. É que de algum tempo para cá, o crescimento da cidade levou os ruídos urbanos para dentro do mosteiro, prejudicando a vida contemplativa de silêncio dos monges que habitam o local.

O incômodo é tanto que os monges decidiram construir um novo mosteiro, agora bem afastado da cidade. A nova estrutura será instalada no distrito rural de Itaiacoca, em um terreno no alto de um morro, ao redor de uma área de preservação permanente. Ainda não há data para conclusão das obras.

Fatores como problemas com falta de abastecimento de água, luz e a proximidade da zona urbana influenciaram na decisão dos monges de se transferirem para esse lugar mais afastado. Segundo eles, os sons da cidade atrapalham nos momentos de oração.

Área de serviço da nova hospedaria, em fase de construção (foto: divulgação)

Os monges beneditinos têm como ideal de vida o silêncio e a oração. “Cada mosteiro tem um jeito de viver a vida monástica. Temos como opção de valores estarmos separados do mundo, pois acreditamos que através dessa separação poderemos fazer um busca de Deus com mais autenticidade”, explica o irmão Daniel Nascimento de Souza.

Eles também valorizam a vida litúrgica. O ofício litúrgico é celebrado sete vezes ao dia e com uma missa diária, e internamente eles praticam a Lectio Divina, ou seja, a leitura das Sagradas Escrituras.

Os monges beneditinos são conhecidos pelos cantos gregorianos. Para eles é uma forma de rezar muito própria. Os monges de Ponta Grossa iniciaram a adaptação do canto gregoriano para o português. Eles “musicalizaram” os salmos, liturgias e cantos das missas. “Esse canto faz parte dos ofícios divinos”, diz o irmão.

Mosteiro atual (foto: divulgação)

Acolhimento

O Mosteiro da Ressurreição também é um lugar para a prática do turismo religioso. Há uma hospedaria para acolher pessoas de todo o Brasil que procuram o local para realização de retiros ou simplesmente para terem momentos de contemplação do silêncio e oração.

O mosteiro está aberto diariamente para quem quiser participar das orações e missas. Quem quiser se hospedar no local tem que fazer reservas.

Os monges ainda mantêm uma loja para comercialização do trabalho em velas que produzem.

Serviço
Agendamento de hospedagem
Tel. (42) 3228-0043 e 3228-9015

A nova estrutura fica localizada no distrito rural de Itaiacoca, em um terreno no alto de um morro, ao redor de uma área de preservação permanente (foto: divulgação)