Ministério do Turismo fortalece os roteiros de fé

Calendário turístico  tem mais de 90 destinos com atividades exclusivamente religiosas

 

Os roteiros religiosos fomentam os pequenos negócios e movimentam a economia local promovendo geração de renda e empregos. O Ministério do Turismo mapeou 96 destinos que possuem calendários exclusivos do turismo religioso. De acordo com a secretária Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do MTur, Teté Bezerra, o ministério já realizou ações específicas para o fortalecimento do turismo religioso, que englobaram o aperfeiçoamento e o posicionamento de produtos turísticos religiosos, bem como a promoção de destinos específicos.

Quanto o setor de turismo religioso movimenta no Brasil por ano?
No Brasil, o setor é responsável por gerar R$ 15 bilhões anualmente. O Ministério do Turismo (MTur) identificou 96 destinos que possuem calendário de eventos exclusivos do turismo religioso no país, distribuídos em 334 municípios que possuem atrativos diversos do segmento. Os roteiros de fé e peregrinação são fortes incentivadores de pequenos negócios e investimentos, movimentando economias locais em setores como indústria, comércio, serviços e artesanato, com geração de emprego e renda em todas as regiões do país.

Qual a importância desse segmento para o turismo brasileiro?
O turismo religioso é um segmento trabalhado pelo MTur desde 2009. Segundo o Departamento de Estudos e Pesquisas do ministério, anualmente são feitas 8,1 milhões de viagens domésticas movidas pela fé. Quando falamos em turistas estrangeiros que vêm ao Brasil com fins religiosos, este número é de aproximadamente 30 mil ao ano.

Qual é o perfil desse turista?
Em 2015, mais de 18,1 milhões de fiéis fizeram turismo religioso no Brasil. Deles, em torno de 8,1 milhões hospedaram-se em hotéis ou pousadas (permanecendo pelo menos uma noite no local) e 10 milhões fizeram viagens sem pernoitar no destino (excursionistas).
Como os municípios podem se beneficiar com esse tipo de turismo e como incentivá-lo? A região Nordeste é a que mais atrai turistas religiosos? Há potencial para outros estados crescerem neste segmento?
O turismo religioso é de extrema importância para o Brasil e tem um apelo expressivo em todas as regiões. Para se ter uma ideia, Aparecida (SP) está entre os destinos mais expressivos no Brasil, recebendo mais de 12 milhões de visitantes anualmente. Somente a região Nordeste é responsável, por ano, pela realização de 250 procissões e romarias. No mundo, o segmento atrai entre 300 e 330 milhões de turistas por ano.
Os eventos e atrativos religiosos são expressões da nossa cultura que vêm mudando a realidade de muitas pequenas cidades do Brasil e trazendo desenvolvimento por meio da visitação turística. Isso porque os eventos incrementam a rede hoteleira e a economia passa a contar com o peso de um setor transformador como o turismo.
A força dos destinos religiosos, que vêm se desenvolvendo em todo o país, está especialmente voltada para grandes celebrações – é o caso do Círio de Nazaré em Belém (PA), uma das maiores festas religiosas do mundo, que reúne cerca de 2 milhões de fiéis no segundo domingo de outubro. A romaria a Juazeiro do Norte (CE) também chega a receber cerca de 2 milhões de devotos de Padre Cícero por ano, e a romaria a Nova Trento (SC), onde está o Santuário da Madre Paulina, considerada a primeira santa brasileira, reúne cerca de 20 mil peregrinos por mês. No Centro-Oeste, Trindade (GO) se destaca pela tradicional Festa do Divino Pai Eterno, cujo fluxo anual chega a 1,5 milhão de visitantes.

Com as celebrações do Ano Mariano podemos atrair mais turistas nacionais e internacionais?
Grandes comemorações e expressões da fé de um povo movem multidões. Para o turismo, especialmente, o Ano Mariano cria uma oportunidade não só para “fidelizar” o visitante que já participa desses eventos e já conhece esses destinos, como também para atrair um novo perfil de viajante, que está interessado muitas vezes em estender a viagem e explorar atrativos da região. Quando o turismo religioso é o principal motivo de viagem, mas não limita a experiência do visitante a um único evento, todos saem ganhando. O artesanato, a gastronomia local, agências de receptivo e hotelaria se preparam para receber grande fluxo de visitantes, e isso gera um estímulo ao desenvolvimento regional de  longo prazo. Quem é do turismo trabalha sempre para que o turista queira voltar.

Como o ministério vê a questão de infraestrutura e qualificação dos profissionais que atendem esse segmento? Quais as ações que o Ministério tem feito para incentivar esse segmento?
O MTur trabalha para estruturar o turismo no Brasil de forma a atender às vocações e potenciais de cada destino. Para isso, contamos com a articulação e parceria com prefeituras e governos estaduais, que identificam demandas e vêm até o ministério para estudarmos juntos como viabilizar investimentos, sejam eles de infraestrutura ou qualificação profissional. O fato é que o ministério está sempre buscando descentralizar os benefícios da Política Nacional de Turismo, para que busquemos a excelência em todas as áreas.
É o caso dos cursos presenciais do MedioTec e da plataforma de qualificação profissional a distância Braços Abertos, ambos lançados no Plano Brasil + Turismo. São 10 mil vagas presenciais para alunos de ensino médio e vagas ilimitadas para os cursos online, que podem ser acessados por pessoas de qualquer lugar do Brasil e que já trabalham na linha de frente do atendimento ao turista. O segmento de turismo religioso também pode se beneficiar dessa iniciativa.
Além disso, o MTur já realizou ações específicas para o fortalecimento do turismo religioso, que englobaram o aperfeiçoamento e o posicionamento de produtos turísticos religiosos, bem como a promoção de destinos específicos (Nova Trento/SC, Aparecida/SP, Santa Cruz/RN e Bragança/PA).